Os jovens indígenas Guarani e Kaiowá se reuniram durante o Aty Guasu na aldeia Panambi para discutir os problemas e as demandas presentes nas suas realidades e elaborar conjuntamente uma carta às autoridades governamentais. Entre as principais preocupações expressas no documento estão a segurança para as lideranças indígenas, o acesso a educação e saúde nas aldeias, o combate e a prevenção ao uso de drogas e álcool. Além de demandas, os jovens enfatizam a necessidade de reconhecimento, valorização e respeito à sua luta e à sua cultura. “Queremos que as autoridades respeitem os nossos direitos, nossa cultura, nossa vivência e o nosso tekoha”.

Organizados em um conselho com atuação em todos os tekohas, os jovens guarani e kaiowá lutam lado a lado com as demais lideranças indígenas, vivenciando toda a insegurança e as dificuldades presentes no cotidiano de seu povo. Mostram, pelas discussões e o documento que segue abaixo, que continuam lutando, preocupados com o presente e com o futuro de sua terra e seu povo. “Não estamos pedimos para ser amados, e sim para sermos respeitados e ouvidos antes de qualquer decisão”.

Leia a carta na íntegra: